o mundo ia desmoronando enquanto eu observava a lua.
meu mundo.
os castelos
o vento calmo no rosto
o pé encostado
uma palavra dita, desdita, gritada, grunhida
 já não entendia que língua você falava
e invejava em silêncio
aqueles que conseguiam ser diferentes de nós.
tentava ler os astros, as cartas, os olhos
qualquer que fosse
onde quer que estivesse
a resposta
eu buscava uma paz extinta.

quase tangível
quase palpável
perto de nós.