secretamente me aproximava do perigo
envolto em rede de armadilha
aquilo havia impregnado em mim
me viciado nos pelos eriçados
o frio que comia a espinha
e desfilava vagaroso sobre minhas costelas
olho cerrado pelo sorriso
um som cadenciava meu movimento de dança.
e o passo querendo ir por si.
eu entendia que aqui
talvez fosse necessário o porto.
o pouso.
a pausa.

mas que ainda
ainda - 
o vôo fosse possível.